emprego

Quais são os requisitos para ser enfermeiro e que especialidades existem

Sonha ser enfermeiro e quer saber mais sobre esta profissão. Saiba tudo o que precisa para seguir a carreira de enfermagem.

1860 é o ano que assinala o aparecimento da enfermagem moderna. Mas, em Portugal, os cursos especificamente concebidos para formar enfermeiros só haviam de nascer entre 1880 e 1899. O primeiro surgiu nos Hospitais da Universidade de Coimbra, em 1881.

De lá para cá, a carreira de enfermagem sofreu várias alterações, ganhando novos contornos e especialidades.

As dificuldades ligadas ao exercício da profissão de enfermeiro no nosso país, e a vontade de conseguir melhores salários e condições de trabalho, têm levado muitos licenciados portugueses a procurar oportunidades lá fora. Desde 2009 até ao final de 2015, cerca de 14.770 enfermeiros pediram à Ordem dos Enfermeiros documentação para emigrar no espaço da União Europeia. Nos últimos anos, foram também feitas alterações nas especialidades de enfermagem.

Se quer seguir a carreira de enfermagem, saiba quais os requisitos de acesso à profissão e quais as especialidades que existem.

CARREIRA DE ENFERMAGEM: COMO ACEDER

A maioria das informações que precisa de saber sobre o acesso à profissão de enfermeiro está sintetizada pela Ordem dos Enfermeiros.

Se quer ser enfermeiro tem que cumprir dois critérios essenciais:

  • ter uma licenciatura em enfermagem, concluída numa Escola Superior de Enfermagem ou numa Escola Superior de Saúde.
  • a detenção de um registo criminal sem sentença judicial transitada em julgado.

Além destes requisitos, para ter o título profissional e poder exercer a profissão em Portugal tem que estar inscrito naOrdem dos Enfermeiros.

ENFERMEIRO OU ENFERMEIRO ESPECIALISTA?

Para ter o título profissional de enfermeiro, que reconhece competência científica, técnica e humana para a prestação de cuidados de enfermagem gerais, tem que ter:

  • Curso de especialização em enfermagem;
  • Curso de estudos superiores especializados em enfermagem, ou ao qual tenha sido concedida a respetiva equivalência legal;
  • Ou curso de pós‐graduação.

Para ter o título profissional de enfermeiro especialista, que reconhece competência científica, técnica e humana para prestar cuidados de enfermagem especializados nas áreas de especialidade em enfermagem reconhecidas, tem que ter:

  • curso de especialização em enfermagem;
  • curso de estudos superiores especializados em enfermagem;
  • curso de pós-licenciatura de especialização em enfermagem;
  • ou curso de mestrado em enfermagem;
  • e dois anos de experiência como enfermeiro.

Estes Cursos de Pós-Licenciatura de Especialização em Enfermagem e os Cursos de Mestrado, nas especialidades reconhecidas, têm que ter sido objeto de parecer favorável da Ordem.

Para ter este título tem que fazer um pedido à Ordem dos Enfermeiros.

QUE ESPECIALIDADES POSSO ESCOLHER?

A carreira de enfermagem pode passar por várias especialidades. As reconhecidas pela Ordem dos Enfermeiros são:

  • Enfermagem Comunitária,
  • Enfermagem Médico-Cirúrgica,
  • Enfermagem de Reabilitação,
  • Enfermagem de Saúde Infantil e Pediátrica,
  • Enfermagem de Saúde Materna e Obstétrica,
  • e Enfermagem de Saúde Mental e Psiquiátrica.

A estas juntaram-se estas novas áreas de especialização, definidas por diploma legal em 2011:

  • Saúde do Adulto;
  • Saúde do Idoso;
  • Saúde Materna, Obstétrica e Ginecológica;

Competências definidas por lei:
a) Cuida a mulher inserida na família e comunidade no âmbito do planeamento familiar e durante o período pré-concecional;
b) Cuida a mulher inserida na família e comunidade durante o período pré-natal;
c) Cuida a mulher inserida na família e comunidade durante o trabalho de parto;
d) Cuida a mulher inserida na família e comunidade durante o período pós-natal;
e) Cuida a mulher inserida na família e comunidade durante o período do climatério;
f) Cuida a mulher inserida na família e comunidade a vivenciar processos de saúde/doença ginecológica;
g) Cuida o grupo-alvo (mulheres em idade fértil) inserido na comunidade.

  • Saúde da Criança e do Jovem;

Competências definidas por lei:
a) Assiste a criança/jovem com a família, na maximização da sua saúde;
b) Cuida da criança/jovem e família nas situações de especial complexidade;
c) Presta cuidados específicos em resposta às necessidades do ciclo de vida e de desenvolvimento da criança e do jovem.

  • Saúde Mental;

Competências definidas por lei:
a) Detém um elevado conhecimento e consciência de si enquanto pessoa e enfermeiro, mercê de vivências e processos de auto-conhecimento, desenvolvimento pessoal e profissional;
b) Assiste a pessoa ao longo do ciclo de vida, família, grupos e comunidade na otimização da saúde mental;
c) Ajuda a pessoa ao longo do ciclo de vida, integrada na família, grupos e comunidade a recuperar a saúde mental, mobilizando as dinâmicas próprias de cada contexto;
d) Presta cuidados de âmbito psicoterapêutico, socioterapêutico, psicossocial e psicoeducacional, à pessoa ao longo do ciclo de vida, mobilizando o contexto e dinâmica individual, familiar de grupo ou comunitário, de forma a manter, melhorar e recuperar a saúde.

  • Pessoa em situação crítica;

Competências definidas por lei:
a) Cuida da pessoa a vivenciar processos complexos de doença crítica e ou falência orgânica;
b) Dinamiza a resposta a situações de catástrofe ou emergência multi-vítima, da conceção à ação;
c) Maximiza a intervenção na prevenção e controlo da infeção perante a pessoa em situação crítica e ou falência orgânica, face à complexidade da situação e à necessidade de respostas em tempo útil e adequadas.

  • Pessoa em situação crónica e paliativa;

Competências definidas por lei:
a) Cuida de pessoas com doença crónica, incapacitante e terminal, dos seus cuidadores e familiares, em todos os contextos de prática clínica, diminuindo o seu sofrimento, maximizando o seu bem-estar, conforto e qualidade de vida;
b) Estabelece relação terapêutica com pessoas com doença crónica incapacitante e terminal, com os seus cuidadores e familiares, de modo a facilitar o processo de adaptação às perdas sucessivas e à morte.

  • Reabilitação;

Competências definidas por lei:
a) Cuida de pessoas com necessidades especiais, ao longo do ciclo de vida, em todos os contextos da prática de cuidados;
b) Capacita a pessoa com deficiência, limitação da atividade e ou restrição da participação para a reinserção e exercício da cidadania;
c) Maximiza a funcionalidade desenvolvendo as capacidades da pessoa.

  • Saúde Familiar;

a) Cuida da família como unidade de cuidados;
b) Presta cuidados específicos nas diferentes fases do ciclo de vida da família ao nível da prevenção primária, secundária e terciária.

  • Saúde Pública

Competências definidas por lei:
a) Estabelece, com base na metodologia do planeamento em saúde, a avaliação do estado de saúde de uma comunidade;
b) Contribui para o processo de capacitação de grupos e comunidades;
c) Integra a coordenação dos Programas de Saúde de âmbito comunitário e na consecução dos objetivos do Plano Nacional de Saúde;
d) Realiza e coopera na vigilância epidemiológica de âmbito geodemográfico.

Fonte: E-konomista

Cerca de 183 ofertas de emprego em Enfermagem disponíveis na primeira Mostra de Emprego da Escola Superior de Enfermagem do Porto (ESEP).

O evento, organizado pela ESEP, decorre no próximo dia 26 de julho, contando com a participação de 20 empresas e ainda com a dinamização de mais de 10 workshops e palestras sobre empregabilidade em enfermagem.

Com vista a melhor atender às necessidades de jovens profissionais à procura de primeiro emprego e de enfermeiros à procura de novos desafios profissionais, a Mostra de Emprego estará organizado em 3 espaços: o Espaço Empresas,contando com a presença de 20stands de empresas de recrutamento e instituições profissionais de Enfermagem; a Pitch zone, local de apresentação de curtos workshopsrelacionados com a profissão de Enfermagem, apresentação de candidaturas e questões relacionadas com emigração especializada; e a Talk zone, espaço de troca de experiências sobre a profissão de Enfermagem em Portugal e no estrangeiro.

Para além dos stands presente todo o dia, o evento contará, na parte da manhã, com workshops de curta duração (15 minutos/cada), dinamizados por entidades e empresas. Os tópicos de apresentação estarão relacionados com temáticas práticos da profissão de enfermagem, nomeadamente, com a certificação para exercício profissional em Portugal, com os formatos de contratos em território nacional, com a realização de exame linguístico para exercício profissional no Reino Unido e, ainda, com a elaboração de curriculum vitae e a preparação de entrevista de emprego.

Pela tarde, decorrerá a Talk Zone, um conjunto de palestras subordinadas aos temas da realidade nacional e emigração de enfermeiros, onde se contará com a participação do sociólogo Hernâni Neto, da enfermeira Olga Pousa e, ainda, de enfermeiros que irão relatar a sua experiência profissional no estrangeiro,.

Neste evento estarão presentes as seguintes instituições e empresas de recrutamento:

  • Ordem dos Enfermeiros
  • Associação Portuguesa de Enfermeiros de Cuidados de Saúde Primários
  • Best Personnel Portugal
  • Corporate Amplia
  • EPSN Work Force
  • Gap Year Portugal
  • Global Working
  • Health Personnel
  • Jobabroad
  • JSL Consultants
  • Kate Cowhig International Healthcare Recruitment
  • Moving People Portugal
  • NHS Trust Buckshealthcare
  • Pcq Recruitment
  • Primary Care
  • Santos e Ferreira Saúde
  • Skills4Nurses
  • Tafife
  • Vida Edu
  • Vitae Professionals

A Mostra decorre das 10:00 às 17:00h do dia 26 de julho, com entrada livre não sujeita a inscrição.

Local do evento:

Escola Superior de Enfermagem do Porto – Sede [Polo da Asprela] – Rua Dr. António Bernardino de Almeida – 4200-072 Porto – Coordenadas GPS: N 41º 10´55.61″ W 8º 36´14.12″

Hoje em dia estamos na era digital, onde tudo é feito pelo computador e onde as relações de emprego tradicionais estão mudando com uma grande velocidade por causa da tecnologia. Mas algumas coisas ainda continuam iguais. Uma delas é a importância de se apresentar um bom currículo para conseguir uma boa vaga de emprego.

O currículo ainda segue sendo como uma das principais cartas de apresentação para que as pessoas demonstrem ter interesse por trabalhar em uma determinada empresa. Este documento pode significar a diferença entre a pessoa conseguir ou não uma determinada oportunidade.

 

Este documento tem a responsabilidade de resumir as experiências profissionais e também as qualificações do candidato. Mais do que simplesmente contar a história daquela pessoa, este documento precisa ser atrativo, despertar na pessoa responsável por selecionar o funcionário para aquela vaga o interesse de continuar lendo e, quem sabe, acabar contratando ela.

Dicas interessantes para fazer o seu currículo e garantir uma boa vaga de emprego em 2016

Antes de mais nada, é importante que este documento seja adaptado para cada vaga que a pessoa vai concorrer. É claro que não é necessário fazer um currículo completamente novo toda vez que as pessoas estão concorrendo a uma nova oportunidade, mas é importante que ele tenha algumas informações priorizadas de acordo com a vaga.

Uma das características do nosso tempo é que a grande maioria das pessoas possuem perfis nas redes sociais. E hoje em dia não é mais segredo para ninguém que muitos selecionadores analisam também os perfis das pessoas, até mesmo para saber se ela realmente se comporta como ela diz no seu currículo. Por isso, pode ser interessante que as pessoas coloquem no seu currículo os links para as suas redes sociais, especialmente para vagas de tecnologia e comunicação.

Resumir o seu currículo ainda continua sendo fundamental. Pesquisas mostram que a grande maioria dos entrevistadores não passam da primeira página. Portanto, é importante fisgar a pessoa que vai selecionar os currículos logo nas primeiras linhas.

E não esqueça nunca de atualizar suas informações de contato, especialmente com e-mail, que é muito utilizado nos dias de hoje.

Baixe Modelos Prontos de Currículo

Modelo-de-Curriculum-1

Modelo-de-Curriculum-2

Modelo-de-Curriculum-3

Modelo-de-Curriculum-4

Modelo-de-Curriculum-5

Modelo-de-Curriculum-6

Modelo-de-Curriculum-2016

10 Modelos de Currículos 2016 para Preencher